A Regra do Jogo (1939)

A obra prima do realizador Jean Renoir, considerada por muitos como um dos melhores filmes da história do cinema, é um excelente exercício crítico da sociedade, em particular da forma como o homem se agarra às regras como forma de protecção dele próprio.

Com um tema tão controverso, A Regra do Jogo foi muito mal recebido aquando da sua estreia e o Governo Francês baniu o filme, considerando-o negativo para a moral do país (à beira da guerra). O realizador ficou devastado com tal recepção e remontou o filme (excluindo principalmente as suas próprias cenas), mas o resultado foi um filme menor, ainda mais mal recebido pelo público e crítica. Quando os alemães invadiram França, o filme foi também banido pelo governo nazi, que destruiu grande parte das cópias, e os negativos foram destruídos pelos bombardeamentos aliados, pensando-se que o filme tinha sido perdido para sempre.

A sorte do filme mudou quando dois fãs de Renoir encontraram centenas de caixas que continham fotografias, notas, bandas sonoras, fragmentos e negativos do filme, tendo restaurado este à sua forma original, à excepção de um minuto de diálogo em falta. A nova versão de A Regra do Jogo, que contou com o apoio do realizador, foi apresentado no Festival de Cannes de 1959, tendo sido recebida entusiasticamente e, a partir dai, ganhou um estatuto de culto, sendo, actualmente, um dos expoentes máximos da sétima arte.

Regle du Jeu, La
Nouvelle Edition Française. 1939, França, 110m, drama
Reaizador: Jean Renoir. Argumento: Carl Koch e Jean Renoir. Actores: Marcel Dalio, Nora Gregor, Paulette Dubost, Mila Parély, Odette Talazac, Claire Gérard, Anne Mayen, Jean Renoir

O conde de la Cheyniest organiza uma festa durante um fim-de-semana cujo resultado é uma teia de intrigas amorosas e sociais.