O Que Matou Por amor (1946)

O Que Matou Por amor é um filme independente de baixo orçamento baseado no controverso romance de Maritta M. Wolff, a quem o argumentista Philip Yordan adquiriu os direitos cinematográficos. Yordan escreveu, ele próprio, o argumento do filme e, mantendo 50% dos lucros, associou-se ao produtor Philip Yordan para a sua produção. O financiamento para o filme foi conseguido através de um banco da cidade de Palm Springs e a distribuição assegurada pela United Artists.

Protagonizado por um George Raft de meia-idade e uma jovem Ava Gardner, O Que Matou Por amor não esconde, desde o primeiro minuto, o seu baixo orçamento: os cenários pouco elaborados, o desenho de produção praticamente inexistente e até a realização e interpretação revelam a pouca ambição do filme. O resultado é realmente um filme lento e muito pouco interessante, com um argumento que deixa no ar mais dúvidas do que respostas.

O ponto mais interessante de O Que Matou Por amor é a sua protagonista. Com apenas 23 anos de idade, Ava Gardner tem, aqui, a sua estreia como protagonista e basta a sua presença para que um filme seja digno de nota. Curiosamente, Gardner não foi a primeira escolha para O Que Matou Por amor e apenas consegui o trabalho depois da Metro-Goldwyn-Mayer, com quem tinha contracto, a emprestar, por uma pechincha, à United Artists.

A falta de química entre os dois protagonistas é bem visível e o realizador russo-francês Philip Yordan, que teve uma carreira menor em Hollywood, admitiu que os dois tinham muita dificuldade em debitar as suas frases. No entanto, o filme foi um sucesso e lançou Ava Gardner para uma carreira de sucesso.

O Que Matou Por amor encontra-se no domínio público encontra-se disponível, legendado em português do Brasil, no canal Cine Antiqua – filmes clássicos


Whistle Stop
Nero Films. EUA, 1946, crime, 85 min. Realizador: Léonide Moguy. Argumento: Philip Yordan, baseado no romance de Maritta M. Wolff. Actores: George Raft, Ava Gardner, Victor McLaglen, Tom Conway, Jorja Curtright. Estreia em Portugal: 18 de junho 1947

Após uma ausência de dois anos, a bonita Mary regressa à sua cidade natal e tenta reconciliar-se com um dos seus ex-namorados, mas a relação é tudo menos pacífica e vai levar a acontecimentos trágicos.